quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Ferrovia - Engenharia e engenheiros na construção dos trilhos da SPR (2)

O engenheiro Daniel M. Fox (que teve seu nome associado a uma rua na Lapa de Baixo - a Engenheiro Fox) é citado diversas vezes no trabalho ""A construção de ferrovias no Brasil no século XIX: empresas, empreiteiros e trabalhadores”. de Maria Lúcia Lamounier (Professora Associada do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, FEA)  


  " Os relatórios dos engenheiros que administravam as obras de construção das ferrovias trazem descrições minuciosas dos diversos tipos de dificuldades que eram encontradas.

O relatório do engenheiro inglês Daniel Fox, que trabalhou nas obras da SPR contém inúmeros exemplos dos obstáculos enfrentados por sua equipe durante a construção da estrada que ligava Santos a Jundiaí, especialmente na serra. Fox (1870) observa que:
[...] apenas aqueles engenheiros que tenham feito levantamentos topográficos em florestas tropicais podem ter uma idéia clara do imenso trabalho envolvido na exploração e seleção de uma rota de ferrovia em um país como o Brasil, especialmente nas escarpas da Serra do Mar (FOX, 1870, p. 5). Para aumentar ainda mais as dificuldades, a serra  [...] da garganta mais profunda ao pico mais elevado, é coberta com floresta primeva quase impenetrável, através das qual o explorador tem de se guiar por trilhas estreitas [...] A equipe de exploradores permanece na selva por três semanas de cada vez, vivendo em barracos cobertos com folhas de palmito, expostos às chuvas tropicais e privações sobre as quais é difícil dar uma idéia (FOX, 1870, p. 5)".

Nenhum comentário:

Postar um comentário