segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Memórias - Anastácio: No tempo das industrias



:: Vila Anastácio ::

Categoria: Nossos bairros, nossas vidas
Autor(a): Luiz Carlos Viviani | história publicada em 25/11/2010 no site http://www.saopaulominhacidade.com.br/list.asp?ID=4530

Nasci nesse bairro em 1948, mais exatamente na Rua Conselheiro Ribas, pois naqueles tempos quem fazia os partos era uma Húngara chamada Dona Rosa, a Cegonha. 

Em 1953 tive a infelicidade de ser atropelado por um Fordinho 1929 e graças aos socorros dos vizinhos sobrevivi, porém ficando com um pé lá outro aqui por uns tempos.

Foi na Vila Anastácio que passei a maior parte da minha vida. Lá me criei, estudei, me casei e trabalhei por quase 30 anos na Sofunge, empresa do grupo Mercedes Benz.

Nesse bairro tínhamos tudo que precisávamos, não faltava nada. Tínhamos cinema, bailes, clubes e garotas bonitas às pencas, resultado de uma mistura das raças que o habitava. Casei com uma garota da Vila e estamos juntos há quase 40 anos.

Tivemos na década de 60 uma das melhores linhas de ônibus da Capital que fazia o percurso Vila Anastácio até a Praça Patriarca.


Fiz o Ginásio no Colégio Estadual Alexandre Von Humboldt, que fica situado quase próximo onde hoje a fica a Marginal. 

Tenho grandes recordações desse lugar, pois tive grandes amigos e vizinhos maravilhosos, que é o que falta nos dias de hoje. O ser humano ficou frio e pouco sociável. É uma pena.

Na Vila Anastácio só era desempregado quem quisesse, pois lá existiam grandes indústrias, tais como Gessy Lever, Refinações de Milho Brasil, Anderson Clayton. Mafersa, Sofunge, Frigorífico Armour, Telespark etc. 

Hoje resido em Peruíbe, no litoral, mas ainda passo pela querida Vila, quando de visita à São Paulo.

Viva a Vila Anastácio. Forever!

Abraços a todos!

E-mail: luiz_viviani@terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário